BRASIL, Sudeste, JUNDIAI, Mulher, jornalista, corinthiana, adoro animais!

 

   

    Blog da Ermã - Naty Teacher Forever
  Te dou um dado?
  Letroca
  Tutty Vasques
  ABJL - Academia Brasileira de Jornalismo Literário
  Jornal da Cidade - Jundiaí
  Jornal de Jundiaí
  Jornal Bom Dia - Jundiaí
  Rádio Cidade - Jundiaí
  TV Educativa - Jundiaí
  Bicho Legal
  Radio Coringão
  Loucos por ti
  Gaviões da Fiel
  Blog do Professor Rafael Porcari


 

 
     

      Todas as mensagens
      Oficina da Notícia
      Pequenos Reparos - Cotidiano
      O Ronco do Motor - Literatura
      Vida Rural
      Repórter Corinthiana


     

       

       


     
     
    Oficina da Mari

    Repórter Corinthiana



     
     

    Dedos Cruzados

    Uma data especial, merece um texto especial... Feito pela jornalista Grasiele Maia há alguns anos, mas é praticamente atemporal. Paixão é assim!

    Dedos cruzados

    Dedos cruzados. Pernas inquietas. O coração? Coitado... estava na garganta. Nenhum som podia emitir, estava no ônibus voltando para casa e ali muitos não me entenderiam ou me fuzilariam com seus olhos sonolentos, sem entender a importância daquele momento.
    O caminho para casa parecia mais longo. Minha ansiedade e agonia não permitiram que eu tirasse o meu cochilo rotineiro, que muitas vezes me fez passar do ponto certo.
    Precisava chegar logo em casa, era uma questão de vida ou morte.
    Cheguei! Desci rapidamente do ônibus, a chave do portão já estava engatilhada, mesmo assim, o nervosismo não deixou que eu acertasse a fechadura.
    Subi as escadas correndo, abrir a porta da sala e sem retirar a mochila das costas, fiz o que esperava a 90 minutos...
    Assistir ao jogo do Corinthians contra o Botafogo.

     

     

    Não era a primeira vez que assistir a uma semifinal com o Corinthians, mas o jogo contra o Botafogo tinha um sabor diferente.
    Em 2007, sofremos com o rebaixamento para a série B e a corrupção correu solta no Parque São Jorge. Esse era o momento de mostrarmos que temos condições de voltar de onde nunca deveríamos ter saído.
    Tínhamos perdido o 1º jogo por 2 a 1, com um gol nos instantes finais da partida.
    A torcida cooperou e rapidamente esgotou os ingressos para a partida de volta.
    Dentro de campo tínhamos que fazer um gol, apenas um, seria o suficiente para chegarmos à final da Copa do Brasil e quem sabe a tão sonhada Copa Libertadores. Mas estamos desfalcados, faltavam quatro titulares. A situação não era das melhores...
    O jogo foi do jeito que a torcida gosta...
    Corinthians começou o jogo impondo seu ritmo e teve boas chances de marcar ainda na 1º etapa.
    Segundo tempo começa com Mano Menezes já expulso, coloca Acosta no lugar de Fábio Ferreira. Devo confessar que ouvir o nome de Acosta, não foi muito confortável, mas para calar minha boca...
    Aos 7 minutos, depois do cruzamento de Herrera, Acosta faz a galera vibrar, afinal era o gol da classificação.
    Pela rádio conseguia imaginar a alegria da torcida, da mesma forma também imaginei e senti a frustração que silenciou o Morumbi, 3 minutos depois com o gol de Renato Silva. Assim como o símbolo do time, havia alguns torcedores solitários comemorando a possível virada de mesa, o empate favorecia o Botafogo.
    A partir daí foi só sofrimento, ouvir uma semifinal pela rádio, dentro de um ônibus, sem esboçar nenhuma reação... foi demais pra mim.Ainda dentro do ônibus, gritei “calada” ao gol de Chicão, que levaria o jogo aos pênaltis.
    Querendo tirar o corpo fora, o juiz termina o jogo sem acréscimos.
    E lá vamos nós...
    Nessa hora vale tudo: ajoelhar na sala, cruzar os dedos (incluindo dos pés), apertar o santinho, como se a cada apertão “ele” fosse ajudar cada pênalti convertido a nosso favor.
    Os goleiros como se estivessem ensaiando, saíram para o mesmo lado, tirando um peso das costas dos batedores, que agradeciam aos céus.
    Cansado de brincar, Felipe acertou o canto e rebateu o chute de Zé Roberto. Ufa, estávamos na final. Aliviados?
    Até o próximo apito. Terei tempo de lavar a camiseta da sorte, afinal superstição nunca é demais

    Grasiele Maia, jornalista e corinthiana roxa sim, senhor! Visite o blog dela: http://blogdagrasi.blogspot.com/

    Ah, e não esqueça de comemorar o aniversário do Corinthians!



    Escrito por Marília P. G. às 20h48
    [   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




     
     

    Eu tento não me importar, mas aqui é Corinthians!

    Quem me conhece sabe o quanto eu me irrito quando começam a falar do meu time. Dizem que provocam justamente porque eu fico brava, bem brava. Depois de me irritar muito este semana, na terça, resolvi que não ia mais me importar tanto com futebol. Ao menos ia tentar.

    Minha promessa feita apenas e para mim mesma, durou poucas horas. No dia seguinte eu já estava comprando briga no facebook por causa do Coringão. E a discussão virtual continua até hoje...

    Quem me conhece também sabe que eu não entendo muito de futebol, apenas gosto e gosto muito do meu time. Sabe também que eu sou extremamente supersticiosa. Tenho que assistir aos jogos, concentradíssima e no mesmo lugar.

    Semana passada fui pela primeira vez ao Pacaembu para ver meu time. Perdeu. Fiquei preocupada achando que eu sou pé frio. Tentei colocar a culpa em minha amiga que é são paulina e foi conosco na torcida. Mas confesso que estou preocupada.

    Aí hoje resolvi ficar em casa mesmo. Sentei no lugar da sorte. Corinthians fez gol. Tudo certo.

    Sandro chegou durante o intervalo e, num plano diabólico para acabar com meu time, usou todo seu charme e me fez sair da sala. Pior, me fez ir até a casa do meu avô. Depois, sem muito insistência e abusando do meu louco sentimento por ele, que me torna irracional, me fez acompanhá-lo à casa da minha prima.

    Quando eu estava no quintal perto de casa, ouvi o narrador gritar gol e corri para ver de quem era. AVAÍ. Pior: o segundo gol.

    Sim, meu time estava perdendo de virada! Como todos sabem da minha superstição, já começaram a falar que eu saí da sala e o Corinthians começou a perder. Eu disse que a culpa é do Sandro e do seu plano maléfico.

    Ainda vi o terceiro gol do Avaí. P%$$@!!! Perder de virada de um time que está na mais baixa das coloções no campeonato, que passou mais de 20 anos na série B e, quando subiu, fez chover sem parar em Santa Catarina... Demais para mim...

    Ainda bem que São Jorge Henrique se redimiu pelo futebol perdido e encontrou o caminho do gol. Ufa, menos feio!!!

    Mas ainda assim: Corinthians perdeu e eu fiquei super triste...

    Tenho mesmo é que manter a minha mandinga de ficar sentida sem sair do sofá. Ah, e outra coisa que deu azar pro meu time foi este novo goleiro. Desde que começou a jogar, só fez o time perder.

    Então, nas próximas rodadas, lugar da sorte no sofá e goleiro da sorte (que este tá dando muito azar!).

    Só preciso deixar claro que, vendo minha tristeza, Sandro Crisol se  sentiu culpado e quis dançar forró comigo, usando a desculpa que temos que treinar os passos aprendidos na aula. Confesso que Sandrinho conseguiu me animar, especialmente quando quis fazer uns passinhos para dançarmos música dos anos 80. Até que ele não é tão mau assim...

    Opa! Eu fiquei feliz bem rapidinho... Será que eu não sou tão corinthiana assim???



    Escrito por Marília P. G. às 21h58
    [   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




     
     

    E mais um campeonato começa... E mais uma vida acaba!

    E o campeonato brasileiro já começou né?! Mais um pouco seria junto com a final do paulista...

    Mas então, não tive um final de semana de descanço... Com o início do Brasileirão, aos domingos, religiosamente, vou continuar assistindo jogo do Corinthians. Não tem mais nenhum dia livre na minha agenda. As segundas são dedicadas as discussões intermináveis sobre os jogos. AS quartas, concentração. Quinta, discussão. Domingo, concentração. E assim vai. Tem que encaixar tudo isso entre 40 horas semanais de trabalho divididas em cinco dias, três horas semanais de francês (fora dever de casa), uma hora de dança e longas horas de escrevendo TCC... Ah, também tenho que dormir, comer, tomar banho e andar de ônibus. Põe duas horas de ônibus por dia, vai...

    Pelo menos no Brasileirão eu sei exatamente a hora que o jogo vai acabar. Não tem decisão por pênaltis...



    Escrito por Marília P. G. às 21h31
    [   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




     
     

    Sentindo culpada

    Final do campeonato. Semana toda de ansiedade...

    Hoje, sento no lugar da sorte. Sai o primeiro gol. Não estou totalmente concentrada. Vai, concentra.

    Coração dispara. Respiração curta. Passes imprecisos. Raça. Marcação. Contra-ataque. Pernas tremendo. Pernas jogando. Lábios apertados. Coração mais ainda.

    Segundo gol. Desespero. Mas ainda dá tempo... Será?

    GOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLL!

    Coração mais do que desesperado, batendo forte, forte, forte. Os minutos acompanham a rapidez das minhas batidas coronarianas.

    Fim...

    Choro preso... Grito mudo...

    Sou obrigada a pagar a aposta que eu havia combinado. Me levanto do lugar da sorte... Deve ser isso que deu tanto azar. Só pode ter sido isso... Nunca mais bato aposta nenhuma...



    Escrito por Marília P. G. às 22h34
    [   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




     
     

    E a mandinga?!

    Só para confirmar: o São Paulo marcou o primeiro gol quando eu sai do meu lugar da sorte... Arte da minha irmã são paulina?!



    Escrito por Marília P. G. às 23h13
    [   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




     
     

    Time do povo... Sei

    Segunda-feira, muita coisa de futebol pra falar né?!

    * Nestes dois dias, contrataram o Adriano Imperador sem eu querer e venderam o Bruno César sem eu saber... Tô mandando mais nada nesse time...

    * Dormi com isso e acordei com o André Lindo Santos na TV...

    * A tarde, Rogério Bambicheni marcou o 100º gol. No meu time. Insatisfeito Marcou o 100º mas já deve ter tomado o 1.000º. Saldo: negativo em 900! Rindo a toa

    Ai ai, tenho que me consolar, né?!



    Escrito por Marília P. G. às 07h25
    [   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




     
     

    Sangue Corinthiano vai correr nas veias no dia 19 de março

    Já falei que a campanha Sangue Corinthiano acontece dia 19 de março?

    Esta é a 7ª edição da campanha e a primeria ação em 2011, que ocorrerá simultaneamente em diversas cidades. Em Jundiaí, a coleta acontecerá na COLSAN, das 7h30 às 12h30.

    Em São Paulo, também haverá uma ação no dia 20, data em que o Corinthians joga.

    Sangue Corinthiano - Existente há dois anos, a campanha visa conscientizar sobre a importância da doação de sangue e usa da força de uma das maiores torcidas do Brasil para alcançar este objetivo. O número de postos de coleta já está chegando a 50 e conta também com uma ação no Japão, com a Fiel Torcida deste país.

    A COLSAN fica na Rua XV de Novembro, 1848, Centro.

    Vista seu manto sagrado e vá lá, doe um pouco do sangue corinthiano que corre em suas veias e salve vidas!

    E se você não for corinthiano, pode doar também! O importante é salvar vidas!

    Informações sobre a campanha no site www.sanguecorinthiano.com.br, e sobre doação de sangue, no site www.colsan.org.br



    Escrito por Marília P. G. às 09h55
    [   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




     
     

    Derrotas fora de campo

    Hoje fui ao estádio assistir Corinthians e Paulista. Já estava surpresa com a notícia da saída de Roberto Carlos e me deparrei com um time novamente sem raça e sem gana de vencer. Jogou mais ou menos. Não me emocionou. Não fez ferver o sangue corinthiano. Mas, não perdeu, o que é realmente muito bom. Continuo invicta no campo.

    Mas fora dele... Cheguei em casa e fiquei sabendo que o Ronaldo não vai mais jogar! Como assim?!

    Até agora ninguém sabe direito como será tudo, mas eu espero que ao menos ele faça um amistoso para se despedir... Seria melhor jogando e marcando, deixa uns pontinhos pra nóis aí, antes de sair!

    Mesmo imensamente triste com a eliminação do Corinthians na PRÉ Libertadores, não critiquei nenhum jogador em particular. Critiquei todo o elenco que jogou sem garra. É absurdo o que a torcida fez contra o time, jogadores e patrimônio do clube (e até mesmo particular), mas confesso que senti muita raiva, muita raiva mesmo do elenco que não honrou nossa camisa, nossa história e nosso amor.

    Espero imensamente que nem Ronaldo, nem Roberto Carlos, estejam saindo por conta da nossa revolta com a incompetência deles, até mesmo porque eles foram contratados para nos dar a Libertadores e não deram, mas trouxeram outras alegrias, tem uma história bacana no clube.

    Espero também que Ronaldo entenda o peso e o amor que a camisa alvinegra tem para uma nação repleta de loucos e apaixonados, e honre esta camisa, mesmo após deixar o clube.

    O futebol mundial perde um craque, e o Corinthians perde muito mais!

    Para sairmos desta lama em que estamos enfiados até o pescoço, vou colocar DE NOVO o vídeo da "declamação" do bando de louco, liderado ainda por Mano Mestre Menezes e capitão Willian.

    Força!

     

    OBS: Depois posto uma foto da torcida e outra dos jogadores em campo hoje e conto como foi...

     

    OBS 2: Sabe que o vídeo era para emocionar, lembrar que somos loucos pelo time e coisa e tal, mas me deu uma deprimida, sabe!? Primeiro: num tem mais Mano! Segundo: não tem nosso capitão Willian. Terceiro: era campanha para vender mais ingressos na Libertadores de 2010, ano do Centenada... Esse ano, nem chances na Libertadores nós tivemos...



    Escrito por Marília P. G. às 23h40
    [   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




     
     

    Chorar, envergonhar, decepcionar, sofrer, obrigar, engolir, apaixonar: LOUCURA

    Acho que hoje foi a primeira vez que chorei pelo Corinthians... Poucas lágrimas, que insistem em voltar aos olhos...

    Que vergonha, que decepção!

    Série B, nós sofremos demais, mas voltamos...

    Eliminação da Libertadores ano passado, sofremos de novo, mas continuamos apaixonados.

    Brasileiro era obrigação, o elenco do Corinthians reclamou mas nem fez nem para classificar. Nos obrigou a enfrentar um PRÉ LIBERTADORES, coisa que eu nem tinha ouvido falar. Nos obrigou a disputar com um time que eu também nunca tinha ouvido falar. Nos obrigou a engolir um empate sem vergonha e sem gols em pleno Pacaembu.

    E agora? Vamos ter que engolir nosso choro, nossa decepção? Esperar mais um ano?

    Aí sim ficaremos verdadeiros loucos!



    Escrito por Marília P. G. às 00h20
    [   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




     
     

    Cultura Alvinegra

    Gente, desculpa falar tanto assim de Corinthians, mas sabe como é, fanatismo é assim mesmo...

    Mas é que achei criativo: o publicitário Ivan Lacerda escreveu o livro Loucos por ti Corinthians, ou melhor, convocou São Jorge para escrever sobre os 100 anos do Timão. E sabe quem fez o prefácio? Ele mesmo, o verdadeiro TODO PODEROSO. Morri com a idéia! kkkkkk

    A venda pela Saraiva (http://www.livrariasaraiva.com.br/produto/3163487/kit-torcedor-corinthians/), com verba revertida parte para o clube, parte ações sociais para ex-atletas do Timão. Ótimo presente para quem quiser me agradar...



    Escrito por Marília P. G. às 17h16
    [   ] [ envie esta mensagem ] [ ]





    [ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]