BRASIL, Sudeste, JUNDIAI, Mulher, jornalista, corinthiana, adoro animais!

 

   

    Blog da Ermã - Naty Teacher Forever
  Te dou um dado?
  Letroca
  Tutty Vasques
  ABJL - Academia Brasileira de Jornalismo Literário
  Jornal da Cidade - Jundiaí
  Jornal de Jundiaí
  Jornal Bom Dia - Jundiaí
  Rádio Cidade - Jundiaí
  TV Educativa - Jundiaí
  Bicho Legal
  Radio Coringão
  Loucos por ti
  Gaviões da Fiel
  Blog do Professor Rafael Porcari


 

 
     

      Todas as mensagens
      Oficina da Notícia
      Pequenos Reparos - Cotidiano
      O Ronco do Motor - Literatura
      Vida Rural
      Repórter Corinthiana


     

       

       


     
     
    Oficina da Mari



     
     

    Mulher de Respeito

    Daí que cidadã que está na mídia novamente deu entrevista falando que recebeu um prêmio por sua atuação em uma área estritamente masculina, que para ela é um orgulho ser a única mulher no país a ter recebido este "reconhecimento" e que o Brasil é muito machista ainda.

    Aí você analisa um pouco da história da pessoa e lembra que ela tirou a roupa e posou nua para uma revista na mesma época em que recebeu o tal prêmio. Posar nua também foi uma forma de reconhecimento pelo seu trabalho?! E né, nada contra quem quer posar nua, mas sei lá, na minha opinião não é assim que se combate o machismo... Na minha área, ela estaria impedida com certeza!



    Categoria: Pequenos Reparos - Cotidiano
    Escrito por Marília P. G. às 22h34
    [   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




     
     

    Dúvida Futebolística

    Quem torce pro Flamengo é flamenguista.

    Quem torce pro Botafogo é botafoguense.

    Quem torce pro Vasco é vascaíno.

    E quem torce pro Fluminense, é o que? SOFREDOR?!

    Em dúvida



    Categoria: Repórter Corinthiana
    Escrito por Marília P. G. às 22h12
    [   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




    Jantar beneficente UIPA

    A UIPA (União Interncaional de Proteção aos Animais) promoverá no dia 06 de dezembro, às 18h30, jantar beneficente com o intuito de angaria fundos para o 13º salário dos funcionários. O local escolhido é o Murimarelo Bar, Pizza e Cozinha, na rua Fernandes Moreira, nº 387, Bairro Santo Amaro, São Paulo. Os convites custam R$ 45,00 e incluem saladas variadas, massas, molhos e temperos variados.

    Durante o jantar, haverá bingo e venda de produtos e camisetas.

    Para mais informações, ligue (11) 3313-1475 ou 3228-1462.


    Para quem quiser ajudar mais e sempre, a UIPA aceita associados: basta contribuir com a quantia mínima de R$ 20,00 mensais, que será usada para recuperação, esterilização, manutenção e encaminhamento de animais para doação, além de pagamento de salários de funcionários.

    Para cadastrar-se, é necessário enviar seu endereço residencial para o e-mail uipasp@uol.com.br e os boletos, que não tem data de vencimento nem valor discriminado, serão encaminhados para o local indicado.

    Coloco o endereço da UIPA de São Paulo, pois é a entidade que costumava colaborar (nas épocas mais abastadas financeiramente em minha vida), mas através do e-mail dela é possível verificar se em sua cidade existe um canil da UIPA ou pessoas ligadas a entidade que acolha e cuide de animais abandonados.

    Para quem não pode contribuir com dinheiro, também são aceitas doações de ração para cães e gatos, leite especial para animais, cobertores, toalhas, fraldas de pano, potes, jornais, medicamentos veterinários, materiais de limpeza e prendas para bazar.

    Não é por falta de opção que não podemos ajudar!



    Escrito por Marília P. G. às 11h28
    [   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




    Direitos dos Animais

    Nos dias 01 e 02 de dezembro será realizado o III Seminário sobre Direitos dos Animais, organizado pelo Laboratório de Estudos sobre a Intolerância (LEI) da Universidade de São Paulo (USP). A entrada é franca e o evento acontecerá das 14 às 22 horas no auditório da Casa de Cultura Japonesa.


    Programação:

    1º de dezembro de 2009

    14h00 às 16h00

    Ecologia de estradas no Brasil
    Giordano Ciocheti – graduado em ciências biológicas pela UFSCar, mestre em ecologia pela USP.

    Aves silvestres e cativeiro
    Soraya Lysenko – graduada em ciências sociais pela USP, diretora financeira da Associação Bichos da Mata.

    Problemas de animais silvestres em cativeiro doméstico irregular e programa de reintrodução do Ibama/SP
    Vincent Kurt Lo – graduado em ciências biológicas pela USP, analista ambiental do Ibama/SP.

    16h00 às 17h30
    Sem rodeios: aspectos históricos, sociológicos e jurídicos da prática Carlos Bedin Cipro – graduado em direito pela PUC/SP, advogado.

    Ação judicial em defesa dos tubarões: uma luta pela vida e contra a crueldade
    Cristiano Pacheco – graduado em direito pela ULBRA, diretor do IJA e advogado da Sea Shepherd Brasil.

    17h30 -. Coffee break vegano

    18h00 – Exibição do documentário Sharkwater, de Rob Stewart.

    20h00 às 22h00

    A grande imprensa e os animais
    Silvana Andrade – jornalista, diretora editorial da ANDA (Agência de Notícias de Direitos Animais).

    Um dia enjaulado no Zoo de Bauru
    Dagomir Marquezi – graduado em jornalismo pela FAAP, jornalista e escritor.

    2 de dezembro de 2009

    14h00 às 16h00

    O impulso da automação – Racionalismo e controle na relação entre os humanos e os outros animais no pós-guerra.
    Frederico Santos Soares de Freitas – graduado em história pela USP, mestrando em história social pela USP.

    O tanku, o pet e o ciborgue: uma perspectiva antropológica da relação humano-animal e dos direitos animais
    Guilherme Antunes – graduado em ciências sociais pela Unesp, mestrando em antropologia social pela UFSCar.

    A importância das ações estudantis na quebra do paradigma científico baseado no uso de animais Róber Bachinski – graduando em ciências biológicas pela UFRGS.

    16h00 às 18h00
    Direitos Animais: um novo paradigma na educação
    Leon Denis Moreira Filho – graduado em filosofia e história, professor da rede pública de ensino.

    Repensando as fronteiras entre o humano e o não-humano através da antropologia
    Mayra Vergotti Ferrigno – graduada em ciências sociais pela Unicamp, mestranda em antropologia social pela Unicamp.

    A superação do paradigma antropocêntrico no direito
    Marcius Porto – graduado em direito pela Univap, juiz de direito do estado de São Paulo.

    18h00 – Coffee break vegano.

    19h00 às 21h00 Novos caminhos para a fundamentação legal da objeção de consciência à experimentação animal
    Daniel Braga Lourenço – graduado em direito pela PUC/RJ, professor de direito da UFRRJ.

    Direitos animais: desdobramentos das pregas morais
    Sônia T. Felipe – doutora em teoria política e filosofia moral pela Universidade de Konstag (Alemanha), pós-doutora em bioética e ética animal pela Universidade de Lisboa.


    Serviço:

    III SEMINÁRIO SOBRE DIREITOS DOS ANIMAIS - “TEORIA E PRÁTICA”

    * 1º e 2 de dezembro, das 14h00 às 22h00, no auditório da Casa de Cultura Japonesa (Avenida Professor Lineu Prestes, 159 – Cidade Universitária – Butantã)
    * Distribuição de certificados aos interessados
    * Informações e inscrições: lei@usp.br Tels.: (11) 3091-2441/ 3091-3584



    Escrito por Marília P. G. às 11h03
    [   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




     
     

    E no escurinho do apagão...

    Daí que no escurinho do apagão, o Cebolinha entrou no meu quarto e foi para meu guarda-roupa. Como tava escuro e o Cebolinha é preto, nem me abalei a procurar e fui dormir.

    Tava lá, dormindo gostosinho, quando UMA COISA MORDE MEU PÉ! P... SUSTO! Era o Cebolinha que tinha saído do armário (hum!) e ido dormir na minha cama.

    E provavelmente tinha levado um chute.

    Certeza de que ele pensou:

    "Que audácia atrapalhar meu sono!"



    Categoria: Pequenos Reparos - Cotidiano
    Escrito por Marília P. G. às 21h46
    [   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




     
     

    APAGÃO: Foi culpa minha!

    Eu estava tomando banho quando a luz começou a piscar. Desliguei o chuveiro correndo, achando que eu estava queimando o chuveiro da quarto da minha mãe também! É, seria o segundo chuveiro queimado em dois dias.

    Me sequei no escuro e sai do banheiro. Percebi que a casa inteira estava apagada. E a vizinhança também. Pensei se meu inocente banho poderia causar aquilo. Megalomaníaca? Um pouco... Mas me lembrei de um dia em que salvei um arquivo muito pesado na rede de computadores da empresa. Feliz por conseguir, desliguei meu computador e fui embora. No dia seguinte me ligaram para avisar que eu tinha parado a rede da empresa.

    Mas desta vez achei que um único chuveiro não poderia apagar o bairro todo. Ou poderia?!

    É engraçado que toda vez que para a energia elétrica, eu estou no chuveiro. Foi assim no apagão de... ih, nem lembro... acho que 2002 ou 2003... Sei que eu estava no ensino médio ainda e o presidente era o Fernando Henrique! Faz tempo hein?!

    Bem, já que está tudo escuro, não tem mais o que fazer, vou para a cama... Que horas são hein?!

    Olhei no celular e marcava 12h53 pm. Pronto, até o celular apagou!

    Bom, tudo bem, vai... Tá tudo no escuro mesmo e logo o sono vem... Toca o telefone e minha mãe vai atender:

    - Oi filha! ..... Nossa! É mesmo? .... O que aconteceu? .... Já tá em casa sim!

    Ai, o que elas estão falando?! Será que aconteceu algo com a minha irmã? Parece que não... Pronto, desligaram!

    - A Naty falou que viu na TV (do celular) que aconteceu um apagão: São Paulo, Rio e Minas estão sem energia!

    AH BOM! Com certeza eu não tenho culpa: um chuveiro queimado não seria capaz de apagar tanta coisa assim! Posso dormir mais tranquila!



    Categoria: Pequenos Reparos - Cotidiano
    Escrito por Marília P. G. às 09h10
    [   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




     
     

    Pode entrar, está aberta!

    TOC, TOC!

    - Quem é?

    - Uma nova idéia!

    - Pode entrar!

    Olhei para ela entrando pela e achei... legal! Diferentesim, talvez até estranha... e pensando bem, eu mesma não deva parecer normal!

    Enquanto ela caminhava e se aproximava, eu observava os detalhes. Ela era alta, magra, mulata, cabelos rasta, roupas diferentes, óculos de grau. Parecia uma idéia absurda, mas eu deixei a porta se abrir para ela. Aliás, eu prefiro manter a porta aberta sempre. Às vezes chegam idéias como esta, um pouco estranhas, outras são bastante absurdas e algumas até geniais. E depois de um tempo, nos acostumamos com elas e aprendemos a gostar. Para isso, só basta abrir a porta.

    Como a porta está aberta, acontece também de umas idéias se cansarem de ficar ali, em especial na sala do fundo, e vão embora.

    Umas entram, outras saem e todas, absurdas, geniais, estranhas, enfim, todas mesmo tem o direito de liberdade: entram e saem, sem mais questões, sem mais explicações, sem mais julgamento. Afinal, a porta da mente está sempre aberta!



    Categoria: O Ronco do Motor - Literatura
    Escrito por Marília P. G. às 09h06
    [   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




     
     

    Melhores amigos, melhores amores

    Acabou. Sinto um vazio... não há mais motivo para terminar o trabalho correndo... não há companhia para mais tarde...

    E eu sabia que seria assim. Sabia que quanto mais me dedicava, mais perto ficava do fim.

    É estranho me sentir assim... Eu queria saber cada vez mais e terminar é a consequência disso.

    Ri em alguns momentos, chorei com a eminência do fim, mas o final foi feliz.

    Agora procuro outro ao mesmo tempo qm que não quero me entregar tanto. Preciso lembrar como é não tê-los por perto. Com você é assim também?

    Eu sofro em cada fim, quando sei que não terei mais suas palavras, suas histórias, seus personagens para me distrair...

    Mas, deixo passar o tempo e logo vou à estante e escolho outro para amar. É assim que me relaciono com os livros, são meus melhores amigos, meus melhores amores...

    Me envolvo com cada personagem a cada palavra, a cada página. Fico feliz quando está tudo bem para o personagem e me entristeço com seu sofrimento. E fico triste quando percebo as poucas folhas que faltam para o fim. Começo a ler mais devagar, mesmo quando desejo saber cada vez mais o que vai acontecer.

    Nunca consigo me despedir e desligar da história, mesmo virando página por página. Até quando o final é feliz eu fico triste porque acabou...



    Categoria: O Ronco do Motor - Literatura
    Escrito por Marília P. G. às 19h18
    [   ] [ envie esta mensagem ] [ ]





    [ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]